Pesquisadores aproveitam bactérias para criar baterias biológicas limpas

Quando você pensa em bactérias, a última palavra que pode vir à mente é “limpa”. No entanto, pesquisadores da Universidade de East Anglia conseguiram um avanço na tecnologia de baterias que permitirá que micróbios gerem eletricidade limpa. Seu trabalho foi publicado recentemente na revista Proceedings, da Academia Nacional de Ciências (PNAS), e mostra que a superfície dos organismos pode produzir uma corrente elétrica ao tocar uma superfície mineral. Quando em contato direto com uma superfície metálica ou mineral, as bactérias podem ficar “presas” a eletrodos, o que deixaria os cientistas a um passo do desenvolvimento de uma bateria alimentada por seres vivos.

A equipe da Universidade de East Anglia colaborou com pesquisadores do Pacific Northwest National Laboratory, em Washington, para criar uma versão sintética das bactérias marinhas Shewanella oneidensis. Isto foi feito com o uso de proteínas usadas para mover eléctrons a partir do interior do corpo da célula para a rocha. ao inserirem estas proteínas em camadas lipídicas das membranas das bactérias reais, eles depois testaram como os eléctrons eram transportados entre o interior do doador para a superfície mineral na qual foi apoiado. Pela primeira vez, os cientistas puderam observar a forma como as bactérias podem conduzir electricidade diretamente entre o metal e a superfície do seu corpo. A taxa de transferência de elétrons foi extremamente rápida, o suficiente para sustentar a respiração. As suas observações serão críticas para a eventual fabricação de baterias vivas.

BCX | FutureLab
Desenvolvimento de Negócios Digitais para fomentar a economia e gerar empreendedores e empresas de sucesso.


Comentários

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer comentar esse post?
Comente agora mesmo

Deixe uma resposta