Empresa desenvolve tecnologia que pode levar à impressão 3D de órgãos humanos

A Organovo Holdings, de San Diego, Califórnia, fabricante de tecidos humanos em três dimensões, anunciou recentemente uma parceria com a empresa de software 3D-Autodesk Inc. para desenvolver o primeiro software de projetos em 3D para a bioimpressão. O novo software será usado para controlar a Novogen Organovo MMX Bioprinter, que produz tecidos humanos vivos tridimensionais, arquitetonicamente corretos e feito inteiramente de células humanas, segundo a empresa.

Atualmente, os tecidos da Organovo são usados ​​por parceiros de pesquisa selecionados para a pesquisa biológica e testes de drogas, mas a empresa acredita que sua tecnologia de bioimpressão 3D também é uma grande promessa para a criação de terapias de tecido diretas… O objetivo a longo prazo é a criação de tecidos destinados ao uso terapêutico direto, para aumentar ou substituir órgãos danificados ou em degeneração. “O desenvolvimento de órgãos bioimpressos poderia ser uma dádiva divina para as 114.300 pessoas atualmente na lista de espera para transplantes de órgãos, 18 das quais morrem todos os dias, de acordo com informações da empresa.

A MMX é uma plataforma de hardware e software projetada para a pesquisa biológica, que é utilizada principalmente por empresas farmacêuticas para a descoberta de drogas. Informações apontam que a MMX “leva células primárias ou outras células humanas e as formam em tecido [funcional] 3D, com tremenda viabilidade celular, que é superior até mesmo a um modelo animal.” O processo Organovo de bioimpressão envolve as células que crescem em uma cultura e, em seguida, são recolhidas e incubandas de modo a formarem a “bio-tinta”, que consiste em células e blocos de construção para formar um sistema de órgãos funcionais in vitro. A bio-tinta é carregada em um cartucho, o qual é colocado na impressora. Ela deposita a bio-tinta de acordo com o desenho desejado, programado pelo software de controle. A Organovo disse que tem trabalhado com vários tipos de tecidos, incluindo os vasos sanguíneos, músculo cardíaco, ossos, pulmões, fígado e rins.

Devido aos órgãos serem tão complexos, a Organovo disse que é difícil prever qual pode ser o primeiro órgão de engenharia. A empresa declarou: “Os tecidos como segmentos dos vasos sanguíneos, enxertos nervosos, osso/cartilagem e patches para ajudar um coração comprometido ou renais são exemplos do que poderia ser uma primeira redução de práticas para a tecnologia.”

A Organovo disse que o seu trabalho com a Autodesk continuará ao longo de 2013. A empresa disse que espera que a relação leve a avanços na bioimpressão, incluindo maior flexibilidade e rendimento com o desenvolvimento interno e a capacidade potencial alongo prazo para os clientes projetarem seus próprios tecidos em 3D para produção na Organovo.”

BCX | FutureLab
Desenvolvimento de Negócios Digitais para fomentar a economia e gerar empreendedores e empresas de sucesso.


Comentários

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer comentar esse post?
Comente agora mesmo

Deixe uma resposta