Captadores de energia cinética geram eletricidade na Maratona de Paris

A Maratona anual de Paris levou o termo “exercício físico” ao próximo nível recentemente, ao aproveita a energia cinética de mais de 40 mil corredores participantes. Patrocinada pela Schneider Energy, a iniciativa cobria parte do percurso de maratona com placas para a captação de energia, que eram ativadas quando os participantes corriam em cima delas. Cada passada de um do corredor rendeu 8 watts de energia, que foram usados para alimentar a sinalização e telas ao longo da maratona.

As placas de captação de energia cinética, feitas pela empresa britânica Pavegen Systems, cobriram cerca de 82 metros do percurso da maratona. À medida e que os maratonistas passavam sobre elas, a sua energia era recolhida e transportada para uma bateria para o armazenamento. Esta energia de cada passada foi convertida em energia elétrica para manter em funcionamento a sinalização elétrica.

A Maratona de Paris coletou cerca de 7 quilowatts-hora de eletricidade durante a corrida inteira, o que é energia suficiente para manter uma lâmpada continuamente acesa por cinco dias. A Schneider Energy instalou as placas na corrida como uma maneira de despertar a consciência do público sobre as possibilidades de utilização da energia cinética. As placas da Pavegen têm aparecido em shoppings, estações de metrô e estádios, e usaram com sucesso o poder do tráfego a pé para ajudar a compensar a dependência de eletricidade de cada local.

A única barreira que ainda permanece no caminho das placas da Pavegen se tornarem mais populares é o custo. Com o progresso da produção em escala, a Pavegen cortou o preço de suas placas cinéticas para quase a metade e espera que o custo de cada telha fique em US$ 76.