Veículo movido a café entra para o Livro dos Recordes

A Bean Machine, uma picape movida a café construída pelo engenheiro e ambientalista britânico Martin Bacon, leva a noção de energia à base de cafeína a um nível totalmente novo. Encomendada pela Co-operative Food para comemorar seu 10 º aniversário de conversão de todo o seu café para o comércio justo, a picape estabeleceu um recorde mundial no Guinness Book com a maior velocidade já atingida por um veículo movido a java, ao atingir as 65 milhas por hora.

A engenhosa Bean Machine é uma modificação de uma picape F100, da Ford, que usa o processo de gaseificação alimentado por casca de pelotas de café. As pelotas, que são um subproduto da produção de café, são aquecidas por fogo de carvão e separadas em hidrogênio e monóxido de carbono. O gás é arrefecido e filtrado, antes que o hidrogênio seja queimado para operar o motor. A gaseificação foi um meio generalizado de transporte no tempo da Segunda Guerra Mundial na Inglaterra, onde mais de 100.000 veículos foram equipados com o processo. No início do século 20, 900.000 carros rodavam com gaseificadores em todo o mundo e isto pode, potencialmente, ser mais eficiente do que os combustíveis fósseis.

O carro à cafeína estabeleceu o Recorde Mundial do Guinness no Aeródromo Woodford, em Manchester, Inglaterra. “Estamos entusiasmados por termos estabelecido o recorde de velocidade para o carro mais rápido deste tipo.”, disse o líder da equipe e engenheiro, Martin Bacon. Apoiado o pela Co-Operative Food, o veículo foi criado para divulgar o seu compromisso com o comércio justo. Nos últimos 15 anos, o negócio tem defendido o varejo responsável através do bem-estar animal, produtos ambientalmente sustentáveis ​​e produção socialmente justa apenas.

BCX | FutureLab
Desenvolvimento de Negócios Digitais para fomentar a economia e gerar empreendedores e empresas de sucesso.
Compartilhe...
Share on FacebookShare on LinkedInTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Google+Share on TumblrBuffer this pageDigg thisEmail this to someone


Comentários

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer comentar esse post?
Comente agora mesmo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *